quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Governo Japonês Estuda Comprar Boeing 777 VIP


O governo do Japão estuda substituir os dois Boeing 747-400, utilizados em missão de transporte VIP, pelos Boeing 777-300ER.
Segundo fontes no governo japonês, a intenção é substituir os aviões até meados do final do ano fiscal de 2018, que encerra em março de 2019. Os atuais 747 foram entregues em 1991 e sofrem com os custos elevados de manutenção e de consumo de combustível.
A meta do governo é reduzir os gastos públicos, incluindo o valor total dos deslocamentos internacionais das autoridades do país.
A JASDF (Japan Air Self Defense Force) não confirmou se a compra será de aeronaves novas ou modelos usados convertidos para missão VIP. Apenas se sabe que foi descartada a compra do Boeing 747-8 Intercontinental devido seu elevado preço unitário e maior consumo de combustível quando comparado aos Triplo Sete. Autoridades confiram que dependendo do andamento do programa 777X, o modelo também poderá ser considerado.
A aquisição do Airbus A380 não foi contemplada devido o porte da aeronave, considerado exageradamente grande para o tipo de missão realizada pelo Japão.



Fonte: Aeromagazine

Azul Recebe Segundo Airbus A-330

A Azul Linhas Aéreas recebeu na noite dessa quarta-feira (20) seu segundo Airbus A330-200, matrícula PR-AIV. A aeronave, que possui a pintura especial com a bandeira do Brasil, chegou procedente de Lake Charles (EUA), e ficará em Confins enquanto cumprir o processo de nacionalização.





Fonte: CNF AoVivo

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Feira de Santana Vai Ganhar Voos da Azul Para Salvador e Confins em Setembro

A partir de 28 de setembro, a Azul pretende iniciar voos diretos partindo de Feira de Santana para Salvador e Confins. Serão três voos semanais – as terças, quintas-feiras e domingos – com os turboélices ATR 72-600, de 70 lugares. A frequência operada aos domingos terá uma parada em Vitória da Conquista e destino final Confins.

Serão, ao todo, três voos semanais a partir de Feira de Santana – as terças, quintas-feiras e domingos – com os turboélices ATR 72-600, de 70 lugares. A frequência operada aos domingos terá uma parada em Vitória da Conquista e destino final Confins. A intenção da Azul é colocar nos voos de Feira de Santana os jatos Embraer assim que o aeroporto estiver apto a recebê-los.

A companhia passará a ligar Teixeira de Freitas a Belo Horizonte (Confins) em três voos semanais – às segundas, quartas e sextas-feiras. Os voos estão previstos para serem iniciados em 29 de setembro. As passagens para os novos voos ainda não estão sendo vendidas. A companhia aguarda autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Com a inclusão dos voos em Feira de Santana e Teixeira de Freitas, além do início das operações em Valença em 30 de agosto, a companhia passa a atender dez cidades baianas. Os destinos já servidos são: Porto Seguro, ilhéus, Vitória da Conquista, Lençóis, Barreiras, Paulo Afonso e Salvador. A Bahia é o terceiro estado com mais operações da Azul, atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais.

    Confira os Horários Que Estão Sendo Analisados Pela Anac

Origem
Saída
Destino
Chegada
Frequência
Salvador
14h45
Feira de Santana
15h25
Às terças e quintas
Feira de Santana
15h50
Salvador
16h30
Às terças e quintas
Belo Horizonte (Confins) – Vitória da Conquista – Feira de Santana – Vitória da Conquista – Belo Horizonte (Confins)
Belo Horizonte (Confins)
12h35
Vitória da Conquista
14h25
Aos domingos
Vitória da Conquista
14h50
Feira de Santana
16h05
Aos domingos
Feira de Santana
16h30
Vitória da Conquista
17h40
Aos domingos
Vitória da Conquista
18h05
Belo Horizonte (Confins)
19h55
Aos domingos


Belo Horizonte (Confins) – Teixeira de Freitas – Belo Horizonte (Confins)
Origem
Saída
Destino
Chegada
Frequência
Belo Horizonte (Confins)
15h30
Teixeira de Freitas
16h55
Às segundas, quartas e sextas
Teixeira de Freitas
17h20
Belo Horizonte (Confins)
18h55
Às segundas, quartas e sextas




Fonte: Tudo em Viagem

Imagens da Semana

Airbus  A-319  FAB-2101  Republica  Federativa do Brasil


Embraer-190 PR-AZG Azul Linhas Aéreas


Sob Segredo de Justiça, Perícia do Acidente Com Aeronave Que Levava Eduardo Campos Já Começou



A investigação sobre o acidente que matou o candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos, e outras seis pessoas correrá sob sigilo até mesmo do Ministério Público ou da Polícia Federal. Decreto assinado pela presidente Dilma Rousseff em maio deste ano determinou o sigilo das investigações de acidentes aéreos feitas pela Aeronáutica.
Caso a Justiça e a polícia queiram identificar responsabilidades em acidente específico, que estava sob investigação do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), um outro inquérito terá de ser aberto. A lei permite, no entanto, que polícia e Justiça usem como provas em inquéritos os dados das caixas-pretas, assim como as transcrições das conversas da cabine.
A lei foi proposta pela Aeronáutica, em 2007, após a crise aérea, desencadeada com os acidentes da Gol, em 2006, que deixou 154 mortos, e da TAM, em junho de 2007, que matou 199. O diretor do Cenipa, brigadeiro Dilton José Schuck, explicou que a nova lei segue o que preconiza a Organização Internacional da Aviação Civil (OACI), órgão ao qual o Brasil é signatário, "para preservar as fontes voluntárias que prestam esclarecimentos e alimentam de informações que venham a auxiliar na identificação dos fatores que levaram à ocorrência do acidente, para que eles não se repitam". O brigadeiro lembrou ainda que a apuração do Cenipa não segue o ritmo de um processo judicial.

O Acidente

A tela do computador da sala de operações da Base Aérea de Santos indicava que o dia seria “chuvoso e nublado”, com a temperatura oscilando entre 13 e 20 graus. Na segunda resolução, a informação adicional – nevoeiro súbito, vento forte. Nada, porém, capaz de impedir as operações de pouso e decolagem. Passava pouco das 9 horas.
O experiente piloto Geraldo Cunha, ex-comandante comercial da TAM, tinha sob comando um notável jato executivo de até 12 lugares – o modelo usado por Eduardo Campos era configurado para nove passageiros, com mais um assento dobrável, adicional –, o Cessna 560 XL, Citation. No mundo há cerca de 580 unidades desse bimotor de médio porte.
Robusto, com poderosos motores Pratt & Whitney 500 e recursos eletrônicos de última geração, ele podia cobrir 3.900 quilômetros sem escalas na velocidade de cruzeiro de 850 km/h. A Força Aérea Brasileira emprega versões eletrônicas do Citation para calibragem de seus sistemas de orientação do tráfego.
Segundo dois oficiais da aviação militar ouvidos pelo Estado, o comandante Cunha tomou a decisão de abortar o pouso e de arremeter, provavelmente ao não localizar visualmente o eixo da pista de 1.400 metros, talvez em meio à chuva fina e à névoa rasteira. O que houve depois, acreditam os militares, será conhecido só por meio da investigação e da perícia.
A hipótese de que tenha havido esforço excessivo das turbinas, exigidas ao máximo durante a arremetida, era considerada pouco provável entre prestadores de serviços de manutenção de aeronaves da mesma classe do Citation. O fenômeno, raro, ocorre quando o motor supera seu limite e perde potência, em vez de ganhar força de empuxo.
Ontem mesmo o Cenipa começou a trabalhar no caso.
O PR-AFA tinha caixas-pretas. O dispositivo acumula dados em uma espécie de disco rígido. O sistema terá armazenado a conversa entre os pilotos e os contatos com os controladores. Informações a respeito dos freios, asas, fuselagem, dos motores e dos movimentos realizados são reunidos do Módulo de Captação. A unidade resiste a impactos de 15 toneladas.



Fonte: MSN Brasil